Cidade de Chapecó não zerou internações por covid-19 com tratamento precoce

 Cidade de Chapecó não zerou internações por covid-19 com tratamento precoce

Nas últimas semanas mais uma desinformação relacionada a covid-19 vem sendo disseminada. Dessa vez, um prefeito levantou a bandeira do tratamento precoce, e com isso ganhou inclusive o apoio do presidente Jair Bolsonaro.

João Rodrigues, prefeito de Chapecó, município de Santa Catarina, afirma que a cidade zerou as internações de pacientes acometidos pela doença e diminuiu drasticamente o número de mortes graças a medicamentos como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina e azitromicina.

O novo boato ganhou as redes sociais, e muitas pessoas tem comprado a história como verdade. Uma das inúmeras publicações compartilhadas no Facebook, enviada ao aplicativo Eu Fiscalizo para checagem, afirma que “Chapecó esvaziou UTIs sem comprovação científica, já São Paulo continua matando pessoas cientificamente”.

Essa declaração, bem como as informações divulgadas pelo prefeito de Chapecó, são falsas.

Na realidade, o número de casos aumentou significativamente depois que o prefeito adotou o tratamento precoce. Nos primeiros dias de janeiro ele determinou o fornecimento dos medicamentos já citados adoção dessa prática. Em 5 de janeiro, o prefeito da cidade, João Rodrigues (PSD), determinou o fornecimento desses medicamentos, e também flexibilizou medidas restritivas. De acordo com levantamento do portal de notícias G1, nessa época a cidade tinha 645 casos ativos, e no dia 21 de fevereiro atingiu 3.677 casos ativos.

Em outra matéria, o G1 ouviu especialistas que explicaram que, na verdade, o que ajudou a diminuir a propagação do coronavírus nas últimas semanas foram as restrições adotadas pela cidade.

Em relação ao tratamento precoce, o Nujoc Checagem já apurou várias informações nesse sentido, e todas elas são falsas.

Thaís Micaelle