FAKE: A vacina é apenas um golpe da indústria farmacêutica?

 FAKE: A vacina é apenas um golpe da indústria farmacêutica?

Página ‘VACINAS: O maior CRIME da história!’ gerou polêmica no Facebook ao afirmar que o imunizante é uma fraude.

Não é de hoje que informações desencontradas sobre a vacinação provocam muitas dúvidas, especialmente sobre imunizar ou não os filhos. Uma denúncia enviada pelo aplicativo Eu Fiscalizo mostra uma página que está gerando muita polêmica no facebook sobre o assunto dizendo que a vacina é o maior crime e fraude da história.
“Vacinas são uma FRAUDE, total, completa e absoluta! MENTIRAM para você e para todos! Esta poção química venenosa chamada “vacina” nunca “erradicou” qualquer doença!”.

Vacinas são substâncias que possuem como função estimular nosso corpo a produzir respostas imunológicas a fim de nos proteger contra determinada doença. Elas não causam doenças, como diz a página em diversas publicações, e são capazes de estimular nosso sistema imunológico a produzir criar defesas.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que cerca de 3 milhões de vidas sejam salvas anualmente por conta da imunização.
Vacinação no Brasil
No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), garante o acesso gratuito a 19 vacinas, que protegem contra mais de 40 doenças. Graças a essa estratégia de saúde pública, doenças infecciosas como a poliomielite e a varíola foram erradicadas do todo território nacional. Além destas, meningite, difteria, tétano, coqueluche, sarampo, caxumba, rubéola, hepatites virais, gripe, pneumonia, tuberculose e febre amarela são outros exemplos de doenças que têm prevenção por meio da vacinação.
Em complemento ao PNI, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) oferecem calendários de vacinação que permitem expandir o espectro de proteção, com vacinas disponíveis na rede privada para diversas faixas etárias e indicações.
“As vacinas são eficazes e seguras. Por causa delas, enfermidades que antes assolavam a população hoje estão controladas, a ponto de as gerações mais novas não lembrarem o impacto que tinham ou até mesmo desconhecerem diversas dessas doenças”, diz Emersom Mesquita, infectologista e gerente médico de vacinas da GSK (empresa global de saúde com foco em ciência.
De acordo com Mesquita, o problema é que esse desconhecimento sobre a importância do papel das vacinas no “sumiço” dessas doenças pode levar a subestimação da vacinação e, como consequência, baixas coberturas vacinais e o retorno de algumas enfermidades. “Um exemplo disso é o sarampo, que chegou a ser erradicado do país em 2016 mas voltou a circular dois anos depois. Em 2020, já são registrados mais de 7.700 casos da doença. Esses números reforçam a importância da manutenção de altas coberturas vacinais para que o efeito da vacinação para saúde pública seja máximo”, finaliza.

Confira um pouco mais do que são e como são feitas as vacinas.

*Com informações da OMS, Ministério da Saúde e UOL