Fake News, febre amarela e vacinação no Brasil

 Fake News, febre amarela e vacinação no Brasil

Os pesquisadores Prof. Dr. Igor Sacramento da FioCruz-RJ e Profa. Dra. Raquel Paiva da UFRJ publicaram recentemente os resultados de uma pesquisa etnográfica que teve como objetivo analisar como os usuários do Sistema Único de Saúde-SUS consomem e fazem circular informações sobre vacinação.

O artigo foi publicado em um dos periódicos de maior reputação da área da comunicação do Brasil, a Revista Matrizes da Universidade de São Paulo-USP.

A motivação para a pesquisa foi a baixa adesão das famílias brasileiras à vacinação nos últimos anos.

Foram realizadas entrevistas com pessoas à espera para se vacinar contra a febre amarela durante o ano de 2017.

Dentre as conclusões, vale destacar a influência das redes sociais nos processos comunicacionais e nas sociabilidades atuais, sobretudo, a partir da interveniência de crenças religiosas que vem minando a confiança na ciência.

Atualmente, grande parte dos brasileiros somente tem acesso a algum tipo de informação através dos aplicativos de mensagens, que são os principais veículos de divulgação de narrativas desinformacionais.

Vale a pena conferir o artigo científico completo aqui:

http://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/160081/160682

Também sugerimos a leitura da entrevista concedida pelo Prof. Dr. Igor Sacramento ao ObjETHOS e disponível neste link.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *