Fato ou fake: pronação pode evitar que paciente seja intubado? Médico explica

 Fato ou fake: pronação pode evitar que paciente seja intubado? Médico explica

Na imagem, paciente em pronação é acompanhado por profissional de saúde – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde/Secretaria de Saúde do Distrito Federal

A técnica foi defendida por profissional de saúde não identificado
em vídeo divulgado nas redes sociais

O Nujoc Checagem, por meio da parceria com o aplicativo Eu Fiscalizo da Fiocruz, recebeu um material que circula nas redes sociais, onde um profissional de saúde não identificado defende o aplicação da técnica de pronação para melhorar o estado de saúde de pacientes internados com a Covid-19, como medida preventiva para evitar a intubação (ventilação mecânica). Veja o vídeo abaixo:

Em contato com o Nujoc Checagem, o médico Heldemys Medina explica que o conteúdo do vídeo é verdadeiro. Segundo ele, pronação é o ato de colocar em posição prona, o que significa deitar o paciente de bruços, ou em decúbito ventral. Medina explica que a técnica leva ao chamado recrutamento alveolar.

“Os alvéolos são as unidades funcionais do pulmão, onde ocorre a troca gasosa. Quando você vira o paciente, parte dos alvéolos que não eram utilizados passam a ser usados. Pacientes moderados e que têm um perfil bom respondem bem à pronação. Você vira, mantém com oxigênio e uma boa parte desses pacientes melhora significativamente”, assinala.

De acordo com o médico, a pronação também pode evitar a intubação, um procedimento invasivo e que em alguns casos pode levar ao óbito do paciente. Entretanto, o profissional de saúde lembra que há ressalvas. “Intubar é uma medida muito mais agressiva e muita gente não consegue sair da intubação. A pronação é uma medida que evita a intubação e complicações maiores. Não vai dar certo com todo mundo, mas é sempre uma medida tomada antes de intubar”, completa.

Falamos sobre a pronação em publicação sobre exercícios respiratórios auxiliares no tratamento da Covid-19. Você pode conferir o material aqui.