Mortes por Covid-19 se concentram em estados antibolsonaro?

 Mortes por Covid-19 se concentram em estados antibolsonaro?

Mensagem da Igreja Universal no Instagram baseou-se em dados do Ministério da Saúde do início do mês de junho

Postagem do Instagram com data de 27 de maio afirma que 87% das mortes pelo novo coronavírus estariam concentradas em estados de oposição ao governo Bolsonaro. A mensagem chegou ao Nujoc Checagem pelo aplicativo Eu Fiscalizo, da Fiocruz.

Postagem no Instagram: a pergunta ficou no ar. Imagem: Reprodução

A postagem foi comentada pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Silva, com a seguinte expressão: “ESTARRECIDA!”. Ela afirma que solicitou a sua equipe mais dados sobre a informação e que não vai antecipar um comentário sem antes “uma profunda reflexão”, mas que foi tomada por um sentimento de angústia e preocupação.

A informação é verdadeira, mas há ressalvas a fazer.

De fato, na data da postagem os estados que mais concentravam casos de Covid-19 eram aqueles ligados a partidos de oposição, como o PSDB e o PT. Os estados com partidos que apoiavam o presidente ou tinham posição neutra apresentavam os menores números. Essa verificação foi feita pelo site de Checagem Aruana, nesta matéria aqui.

A equipe do Aruana constatou em 01 de junho que os dados disponibilizados no Ministério da Saúde mostravam uma média próxima do número divulgado pelo site R7, onde a matéria saiu publicada em 26 de maio.

O percentual de cerca de 87% foi confirmado pela equipe do Aruana para os números absolutos e a mesma relação foi observada proporcionalmente, calculando-se o número de mortos por 100 mil habitantes: “A respeito dos números de mortalidade proporcionais, o R7 acerta mais uma vez: os estados administrados por opositores de Bolsonaro apresentam uma média maior do que os outros que são considerados aliados ou neutros em relação ao governo federal”.

A situação atual do coronavírus é melhor representada pelos dados fornecidos pela média móvel, que mostra a variação da média dos sete últimos dias em relação à média de duas semanas atrás. Esses dados, que podem ser visualizados aqui, mostram um quadro atual que vai da retração ao crescimento, passando por estados em que a situação se encontra estável – independentemente do apoio ou não ao governo federal.

Guerra ideológica – Desde o início da pandemia o Brasil vem lidando com o embate político de setores que apoiam e que contestam o governo. A postura do governo federal tem sido de minimizar os dados sobre a gravidade e a extensão da Covid-19, sendo o presidente um dos principais porta-vozes dessa tendência, em pronunciamentos oficiais e no dia a dia junto à militância.

No início de junho, o governo mudou a metodologia de apresentação dos dados, destacando o número de recuperados e colocando em segundo plano o número de novos casos e de óbitos. A medida foi prontamente criticada por veículos de mídia e autoridades da área da Saúde, dentro e fora do país, como mostra esta matéria da Folha de S.Paulo.

Atualmente o Brasil ocupa o segundo lugar no mundo em números de casos e de mortes pela Covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos.

A equipe do Nujoc Checagem já fez outras verificações sobre temas relacionados ao embate político na pandemia do novo coronavírus. Nesta aqui a gente verificou postagem sobre óbitos no estado do Ceará. Nesta outra matéria, a gente investigou informação sobre compra de respiradores superfaturados.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *