Novo coronavírus causou apenas 6% das mortes nos EUA?

 Novo coronavírus causou apenas 6% das mortes nos EUA?

A informação vem circulando nas redes com base em leitura incorreta de relatório de agência americana

Um relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, dos Estados Unidos, CDC na sigla em inglês, vem sendo comentado na mídia nacional desde o início deste mês. Ele traz os números da Covid-19 entre os americanos até a data de 2 de setembro. Uma das informações do relatório é que as mortes causadas exclusivamente pela Covid-19 representam um total de 6% dos óbitos. Acesse aqui  o texto completo do CDC.

Essa informação foi pinçada e descontextualizada por comentadores aqui no Brasil. O jornalista Alexandre Garcia foi um deles: fez um vídeo em que atribui 94% das mortes a outras causas que não a Covid-19. A equipe do NUJOC Checagem recebeu denúncia de fake news pelo aplicativo Eu Fiscalizo sobre essa mesma informação. O texto, assinado pelo advogado Julio Gonzaga, foi publicado em 2 de setembro no site Estudos Nacionais.

A informação de que a Covid-19 é a causa de apenas 6% das mortes registradas no relatório do CDC é falsa.

O que o relatório mostra, de fato, é que as comorbidades aparecem em 94% dos óbitos relatados – elas vão de problemas respiratórios a complicações cardíacas, e incluem também doenças crônicas nos rins, diabetes, obesidade, entre outras condições. As comorbidades registradas no momento dos óbitos não são necessariamente preexistentes: elas foram registradas por comporem o quadro no momento do óbito. Isso significa que elas podem inclusive ter sido desencadeadas pela infecção do novo coronavírus, que representa a causa principal do óbito em 94% dos casos e a única causa em 6% deles.


Texto no site Estudos Nacionais: leitura incorreta de dado estatístico. Imagem: Reprodução

Assim, é incorreto dizer que o relatório do CDC afirma que os casos de morte pela Covid-19 são de apenas 6% e que todas as demais seriam por decorrência de doenças preexistentes. Versões ligeiramente modificadas dessa mensagem foram checadas por agência de verificação, como a Lupa, a agência Aos Fatos e a AFP Checamos.

A agência Aos Fatos ouviu o especialista do Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Marcelo Brandão, que explica os dados do relatório: “A ideia do CDC foi falar o seguinte: dentro desse universo que nós estamos olhando, 6% [das mortes] não têm ligação com nenhuma outra comorbidade conhecida. Nos outros 94%, existia algum índice de comorbidade que pode sim estar relacionado à doença. A Covid foi uma catalisadora desse óbito”.

O NUJOC Checagem já verificou outras mensagens sobre distorção de dados estatísticos relativos à Covid-19. Nesta checagem aqui, verificamos um vídeo que distorce dados sobre o número de mortos no Brasil. Nesta outra aqui, mostramos por que a taxa de recuperação da infecção pela Covid-19 no Brasil não é a segunda maior do mundo.