Pacientes com covid-19 que praticam exercícios físicos têm oito vezes mais chances de sobreviver?

 Pacientes com covid-19 que praticam exercícios físicos têm oito vezes mais chances de sobreviver?

O presidente Jair Bolsonaro, desde o início da pandemia da covid-19 vem divergindo publicamente das medidas restritivas e dos protocolos sanitários impostos por orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nas redes sociais, ele compartilha conteúdos que possam justificar seu posicionamento.

Recentemente, Bolsonaro publicou trecho de uma matéria citando um estudo que afirma que pacientes com covid-19 que praticam atividades físicas teriam chance de sobrevivência oito vezes maior. A informação sobre o estudo é verdadeira.

O estudo foi realizado por cardiologistas do Instituto Cardiovascular do Hospital Clínica San Carlos de Madri, e publicado no periódico internacional Infectious Diseases and Therapy.

O estudo foi feito com uma amostra de 520 pacientes com idades entre 18 e 70 anos, internados com covid-19 entre 15 de fevereiro a 15 de abril de 2020. Esses pacientes foram divididos em dois grupos: os que tinham vida sedentária (57,1%) e aqueles que praticavam atividades físicas regulares por pelo menos 30 minutos duas vezes por semana (42,9%).

“A mortalidade global no grupo 1 foi significativamente maior do que no grupo 2 (13,8% vs 1,8%; p <0,001). Pacientes com estilo de vida sedentário aumentaram a mortalidade de covid-19 independentemente de outros fatores de risco”, diz um trecho do estudo.

Embora a publicação do presidente de fato remeta a um estudo científico, pesquisas semelhantes contrariam esses dados. Recentemente a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) publicou estudo que constatou que a prática regular de atividade física não é fator determinante para evitar o agravamento da covid-19.

“Em caso de contaminação, os benefícios adquiridos pelos exercícios físicos diminuem conforme a doença se agrava e os fatores de risco se tornam preponderantes”, diz o estudo da USP.

Portanto, por mais que o presidente tenha compartilhado uma informação verdadeira sobre um estudo, é necessário entender que o tema ainda é estudado e não há respostas definitivas.

Além disso, podemos perceber na postagem de Bolsonaro que sua principal intenção ao compartilhar essa informação foi a de defender a abertura das atividades econômicas, uma vez que, segundo ele, trabalhar também é uma atividade física. Dessa forma, devemos questionar a postura do presidente, que se utilizou de um estudo científico para defender o oposto do que vem defendendo a ciência.

O material aqui analisado foi enviado pelo aplicativo Eu Fiscalizo.

Thaís Micaelle