Publicação faz alegações que vacina Butanvac não é brasileira

 Publicação faz alegações que vacina Butanvac não é brasileira

Recebemos por meio do aplicativo Eu Fiscalizo da Fiocruz (disponível para Android e IOS) uma publicação que circula nas redes sociais sobre a origem da vacina Butanvac. No post, o então governador de São Paulo, João Dória (PSDB-SP), é chamado de mentiroso ao dizer que a vacina Butanvac, a ser desenvolvida pelo Instituto Butantan, utiliza tecnologia estadunidense, portanto, tem origem estrangeira e não nacional.

Mensagem circula nas redes sócias e atribui a origem da vacina Butanvac aos Estados Unidos. Fonte: Reprodução

Com informações da BBC Brasil, a vacina Butanvac é brasileira. Em nota, o Butantan reconheceu que usa a técnica de produção da vacina a partir do vírus Newcastle, o que foi desenvolvido no Mount Sinai. Entretanto, a instituição paulista destacou que a maior parte do projeto é mesmo nacional, incluindo a planejada produção das doses: “Entre as etapas feitas totalmente por técnicas desenvolvidas pelo instituto paulista, estão a multiplicação do vírus, condições de cultivo, ingredientes, adaptação aos ovos, conservação, purificação, inativação do vírus, escalonamento de doses, estudos clínicos e regulatórios, além do registro.”

A vacina Butanvac vai utilizar a mesma tecnologia da vacina contra a gripe, que também é fabricada pelo Instituto Butantan. De acordo com Dimas Covas a BBC Brasil, o vetor utilizado é um vírus chamado Newcastle, que infecta aves.

Os pesquisadores inserem nesse vírus os genes da spike do coronavírus, como é chamada a proteína que se encaixa nas células humanas para promover a infecção. Após modificar o vírus Newcastle com a proteína do coronavírus, ele é introduzido em ovos de galinha, onde se multiplica.

“É uma vacina produzida em ovo embrionário, mas ela se utiliza da estrutura básica de um vírus, de um vírus que infecta aves, chamado Newcastle. Esse vírus foi modificado geneticamente e ele expressa a proteína S”, esclareceu Covas.

Confira abaixo a nota emitida pelo Instituto Butantan sobre a nova vacina:

A tecnologia da vacina Butanvac, que será fabricada com custos baixos no Brasil, sem dependência de insumo importado, usa o vírus da doença de NewCastle desenvolvido‪ por cientistas nos Estados Unidos na Icahn School of Medicine no Mount Sinai em Nova York. A proteína S estabilizada do virus SARS-Cov-2 utilizada na vacina com tecnologia HexaPro foi desenvolvida na Universidade do Texas em Austin.

O Butantan é um dos produtores responsáveis por desenvolver clinicamente o produto, escalonar e padronizar os processos produtivos e produzir completamente a vacina no país, consequentemente possibilitando a vacinação em massa.

O desenvolvimento da vacina está sendo feito pelo Butantan na mesma plataforma usada para a vacina da influenza, ou seja, a Butanvac empregará a mesma tecnologia utilizada na vacinada gripe. Todos os processos produtivos, desde a qualificação dos ovos embrionados, inoculação, crescimento viral, processamento e purificação viral, inativação, formulação, qualificação, controle de qualidade, produção em escala, envase, rotulagem, registro sanitário, serão realizados pelo Butantan. O que significa dizer que a vacina em desenvolvimento e que entrará em estudos clínicos é uma vacina que será produzida integralmente pelo Butantan no Brasil.

Garantimos o trabalho em conjunto com a Mount Sinai e o Butantan se orgulha desta nova etapa, que trará para o país um novo insumo tão importante em um momento tão delicado de pandemia.

*Imagens da capa: Lucas Borges Teixeira/UOL

Edison Mineiro