Síndrome inflamatória ataca crianças que foram infectadas pela Covid-19

 Síndrome inflamatória ataca crianças que foram infectadas pela Covid-19

Casos são raros e ainda se investiga a relação causal entre a síndrome e a infecção pelo novo coronavírus

Está circulando nas redes mensagem que alerta para uma síndrome inflamatória que ataca crianças e que teria vitimado o filho da pessoa que postou a informação. A mensagem diz o seguinte: “Um alerta aos pais! O Miguel faleceu de uma nova doença que veio depois da Covid-19, chamada síndrome inflamatória multissistêmica pós covid. Se a febre persistir por mais de 3 dias vá direto pro hospital, não fiquem medicando em casa (…)”.


A mensagem: alerta ao pais tem fundamento. Imagem: Captura de tela/Instagram

A mensagem, que chegou à nossa equipe por contados nas redes sociais, traz uma informação verdadeira.

Existe de fato uma doença que ataca crianças e que está associada à infecção pelo novo coronavírus. A síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica – Sim-P é uma ocorrência relativamente rara, mas grave. Os sintomas principais são: febre acima de 38° por mais de três dias, erupções cutâneas, inchaço nas mãos e pés, conjuntivite, dor abdominal, diarreia e vômito. Exatamente como informa a postagem que vem circulando nas redes.


Postagem também alerta para os sintomas da nova síndrome. Imagem: Captura de tela/Instagram

O NUJOC Checagem conferiu outras publicações que relataram a síndrome, todas elas confirmando os sintomas da postagem que está circulando pelas redes. Em abril deste ano, a Revista Veja Saúde publicou esta matéria aqui, em que descreve em detalhes a nova doença. A Folha de S.Paulo publicou esta reportagem em 21 de agosto, onde descreve o caso de um menino que quase perdeu a vida para a SIM-P.

Ligação – Sobre a relação com o novo coronavírus, o médico Marcelo Otsuka, coordenador do comitê de pediatria da Sociedade Brasileira de Infectologia, ouvido na matéria da Folha, avalia: “Todos os indícios nos sugerem até o momento que isso esteja ligado”. As crianças que apresentaram a doença testaram positivo para o novo coronavírus em testes de anticorpos ou ainda após os primeiros sintomas da Covid-19.

A nova doença se assemelha a outra síndrome que também ataca crianças, a síndrome de Kawasaki, uma doença inflamatória autoimune e rara. Mas no caso da Sim-P a idade das crianças fica entre 0 até adolescentes de 19 anos, ao passo que a síndrome de Kawasaki costuma atacar crianças de zero a 5 anos.

A Organização Pan-Americana de Saúde, braço da Organização Mundial da Saúde nas Américas, emitiu resumo científico sobre a síndrome, descrevendo os principais sintomas e a incidência da doença no mundo. A OPAS destaca que os dados ainda são inconclusivos para definir a abrangência da doença e sua relação com a Covid-19. Confira aqui o documento.

O governo do estado do Piauí também vem divulgando campanha para alertar sobre a nova síndrome. A campanha descreve os sintomas e adverte aos pais que fiquem atentos.


Campanha institucional do governo do estado altera os pais sobre a nova síndrome. Imagem: Reprodução

Ainda conforme as peças divulgadas pela Secretaria Estadual da Saúde, no Piauí a faixa etária mais afetada é de crianças abaixo de cinco anos, com notificação de dez casos da síndrome no estado. Aos primeiros sintomas, os pais devem procurar os serviços de saúde com urgência, para evitar as complicações da síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica. Até agosto havia notificação de 142 casos no país, com nove mortes, segundo dados da Folha de S.Paulo. Conforme especialistas, o tempo médio de internação é de dez dias.