Vacina contra covid-19 da Moderna tem 94,5% de eficácia

 Vacina contra covid-19 da Moderna tem 94,5% de eficácia

Nesta semana o Deputado Federal, Guiga Peixoto(PSL) compartilhou no seu Instagram informações sobre o resultado que ele qualificou como “excelente” sobre a vacina mRNA-1273 da Moderna, empresa de biotecnologia dos EUA com sede em Cambridge, Massachusetts, que obteve 94,5% de eficácia na 3 fase de testes, onde participaram 30.000 voluntários.

Foto: Reprodução/Instagram

Nessa semana saiu o resultado de algumas vacinas que estão sendo testadas, dentre elas a da Moderna que foi uma das que teve maior porcentagem de proteção na fase de testes, perdendo apenas para a CoronaVac, que teve 97% de proteção e para a vacina experimental da Pfizer que teve 95% de proteção, até o momento. 

Em questão de valores a vacina da Moderna entra como uma das mais caras até agora, ela custaria em torno de 25 euros (135 reais) por dose, sete vezes mais cara que a vacina da Oxford que custaria em média 19 reais. Como a vacina da Moderna precisa de duas aplicações o custo para imunizar cada pessoa vai entre US$ 50 (R$ 270) a US$ 74 (R$ 400). Em entrevista, Stéphane Bancel diretor executivo da Moderna ao jornal alemão Welt am Sonntag, afirma que o valor cobrado pela vacina é justo, e que a empresa não visa lucro em cima da vacina. 

Também fazendo comparação no armazenamento das vacinas, de acordo com matéria publicada pelo El País “O produto da Moderna está em um termo médio. Sua vacina experimental permanece estável por pelo menos seis meses a 20 graus abaixo de zero e aguenta 30 dias na geladeira, com temperaturas de 2 a 8 graus.” que está entre as mais acessíveis em relação a refrigeração e armazenamento. 

Até o momento o governo brasileiro não fechou contrato com a farmacêutica Moderna, mas informações divulgados pelo El País afirmam que “O Ministério da Saúde aderiu à iniciativa Covax Facility, liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que irá permitir ao país acesso a pelo menos nove vacinas em desenvolvimento. Pelo acordo, o país tem direito a uma reserva de 40 milhões de doses. O Governo pretende divulgar um calendário de vacinação contra a covid-19 para 2021 e para isso está se reunindo com cinco farmacêuticas ― Pfizer, Moderna, Janssen-Cilag (braço da Johnson & Johnson), a indiana Bharat Biotech e o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF)”

O Nujoc checagem também verificou outras informações sobre as vacinas experimentais contra covid-19 que estão em fase de teste, confira aqui.