Vacinas contra covid-19 não causou Paralisia de Bell apresentada por voluntários imunizados

 Vacinas contra covid-19  não causou Paralisia de Bell apresentada por voluntários imunizados

Em vídeo enviado através do aplicativo EuFiscalizo, uma mulher informa que tomou a vacina contra a covid-19, afirma que após tomar a vacina ela desenvolveu Paralisia de Bell, onde a mesma pede que a população não tome a vacina, confira as informações passadas em vídeo:

“Olá, eu sou uma enfermeira registrada em Nashville, Tennessee e o meu nome é khalilah Mitchel. Estou me comunicando com todos a respeito da vacina da COVID-19. Recentemente eu tomei a vacina da covid19, após a vacina eu me senti bem, mas com três dias eu fui ao medico por que eu tive problemas com meu rosto, atualmente o lado esquerdo inteiro da minha face. Eu tenho Bell’s Palsy agora. Como você pode ver eu não posso sorrir. Eu estou tentando sorrir. Mas… Eu apenas quero que todos saibam que, eu acho que essa vacina é a piro coisa que existe. Eu não daria isto para ninguém, nem para meu pior inimigo… Por favor America, eles não se importam com a gente, NÃO tomem essa vacina”

Imagem: Reprodução/vídeo compartilhado

A paralisia informada por ela, é caracterizada pelo enfraquecimento repentino ou paralisia dos músculos em um lado da face devido à disfunção do 7º nervo craniano (nervo facial), de acordo com o Manual Merck de Diagnóstico e Tratamento. Esse nervo é responsável pelos movimentos do rosto, estimula a salivação e as glândulas lacrimais, além de ter funções auxiliares no paladar e audição. 

Durante o período de teste das vacinas da Pfizer e BioNTech contra covid-19 quatro voluntários apresentaram essa condição. “Esses casos ocorreram aos 3, 9, 37 e 48 dias após a vacinação. Um caso (início em 3 dias após a vacinação) foi relatado como resolvido com sequelas dentro de três dias após o início, e os outros três foram relatados como continuando ou resolvendo a partir do corte de dados de 14 de novembro de 2020 com durações contínuas de 10, 15, e 21 dias, respectivamente”, de acordo com dados do relatório da FDA.

Porém não há nenhuma confirmação dessa relação direta com as vacinas e a doença, logo a paralisia de Bell pode acontecer por conta de alguma infecção viral (principalmente pelo vírus que causa o herpes simples) ou alguma doença imunológica que faz o nervo facial inchar.

A vacina foi aprovada por órgãos regulamentadores mundo afora, e está sendo aplicada desde o mês de dezembro de 2020, onde até então não existe registro oficial de que elas tenham causado paralisia nos imunizados. A FDA, que é o órgão que regulamenta o uso de medicamentos e vacinas nos Estados Unidos, também se posicionou sobre o ocorrido, confirmando que não há ligação direta entre a vacina e a doença. “Não há evidências para afirmar que o distúrbio foi causado pela vacina. O comitê consultivo da FDA classificou o episódio como “evento adverso sem gravidade”. 

70 a 90% dos pacientes que apresentam a paralisia tem recuperação total com ou sem tratamento médico, entre 6 a 8 semanas após o diagnóstico. 

Sane Araujo